Notícias

Roda Roda Peão

O programa Roda Viva da TV Cultura, que vem realizando sabatinas com pré-candidatos à presidência e políticos em evidência no período eleitoral, alcançou indíces surpreendentes na noite desta segunda-feira (30/07).

O motivo para tal façanha, foi a presença polêmica do candidato Jair Bolsonaro (PSL-RJ), que sem a menor sombra de dúvidas, era o pré-candidato mais aguardado, principalmente por partidos de oposição, em uma edição que se tornou recorde de audiência.

Sem pestanejar, jornalistas não pouparam intelecto ( ou falta dele), para interpelar Bolsonaro com questões relativas ao regime militar de 1964. Estranhamente, Jair Bolsonaro, teve que, ao contrário de responder as perguntas, se defender de pontos cruciais, estratégicamente estruturados para exatamente desestruturar o pré-candidato.

Com mais de 100 mil webespectadores, o roda viva em sua página do facebook recebeu inúmeras críticas em relação a conduta tendenciosa apresentada pelos respresentantes dos veículos de mídia. O que não foi surpresa para a maioria, uma vez que a condição de militar na reserva, abriu inúmeras possibilidades para questionamentos, que fundamentalmente, fora de propósito, estavam bem distantes de uma pauta.

A Jornalista Daniela ao ser confrontada sobre vencimentos, se mostrou totalmente alheia quanto a remuneração da categoria, perpetrando um mico homérico.

Tudo isso temperado ao sabor do bananasauro perpretado por Leonencio, ao utilizar a wikipedia, para fundamentar alguns questionamentos, demonstrando estar totalmente engajado nos factóides das redes sociais, o que não é novidade.

Bolsonaro, demonstrou a tranquilidade, e surpreendeu até mesmo o mais cético eleitor, ao ter paciência e equilíbrio, mesmo diante de interrupções incessantes por parte dos jornalistas.

O ponto fraco do programa e que deixou a maior parte dos espectadores frustrados, foi a ausência da pauta governamental, onde algumas dúvidas relativas ao programa de governo, não puderam ser exploradas, de maneira a realizar um programa onde o debate que realmente importa, foi suprimido, em detrimento de ataques claros à Jair Bolsonaro.

O caso sobre Vladmir Herzog por exemplo, um dos pilares da inquisição imposta ao candidato, está sob responsabilidade da justiça, dispensando todo o alarde que se pretendeu dar à questão.

O total despreparo da equipe de jornalistas, ficou evidente na maior parte do programa, no qual a impressão que se teve, foi a de uma passarela de pseudo celebridades dos bastidores da desinformação.

Notoriamente, o cartunista, tentou sem sucesso emplacar memes sobre a situação, porém a cada sucessão de questionamento pastelão, ficou evidente que o Roda Viva perdeu credibilidade perante seus espectadores.

Bolsonaro categoricamente, respondeu ( quando deixaram), a maioria das perguntas, com toda a segurança sobre suas convicções, o que notoriamente deixava os “inquisitores” com os ânimos inflados.

O problema de tudo isso é que assim como em outros setores da sociedade, ja não se leva o compromisso com o cidadão tão a sério. Uma mudança de comportamento é mais que necessária, é urgente. Se você perdeu, ou não pôde assisir a entrevista, disponibilizamos o vídeo completo logo abaixo:

Compartilhe
  • 9
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    9
    Shares

About Author

Radialista, técnico em rtv, blogueiro, aficionado por tecnologia e comunicação.

Deixe uma resposta