Timelinews

Aliar-se a Israel: mais que vantagens tecnológicas, uma premissa moral

Sou instada a responder várias vezes sobre a Importância de Israel para o mundo ocidental.

O apoio de uma “goy”, o motivo – além da profunda admiração: a defesa de Israel e dos judeus se faz necessária, principalmente pela repulsa que sinto pelo injusto. Israel tem sido massacrado, vítima de uma campanha infame que tenta demonizar o país, seus governos e seu povo.

Não, meu filho, eu não sou “aduladora, nem puxa-saco de judeus” ( como você me acusou). Você está redondamente enganado em sua leviandade.
Primeiro: não preciso bajular ninguém.
Segundo: não tenho a menor culpa da sua inteligência não captar o óbvio.

O que está em jogo não é simplesmente “adular” um país e um povo, mas sim o fato de uma civilização que está correndo o risco de ser trocada pela barbárie e pela substituição de um novo modelo ético-moral.
Uma “civilização” em que o marco é a carência do elemento civilizatório humano, que é composta pelo que há de mais brutal na história mundial.

Parece que você não consegue enxergar o óbvio: o ocidente está sob ataque, que vem – graças a idiotas úteis e obtusos como você – sendo muito bem-sucedido. O antissemitismo e a construção de uma falsa narrativa demonizando Israel e seu povo são os primeiros passos para que você seja a próxima vítima deste processo, e o será por sua meritória ignorância.

Israel é o único país a adotar medidas certas contra a intolerância e radicalismo islâmicos. Um país que é forçado a conviver com a selvageria por todos os lados e que foi obrigado, em virtude disso, a se preocupar com a segurança do país e seus milenares valores judaicos – que inclusive são alicerces da nossa civilização.

Israel vem sendo vítima, como eu disse, há décadas, da campanha mais sórdida e mentirosa para que o islã radical triunfe e o ódio religioso seja estabelecido como regra nas sociedades desenvolvidas e já civilizadas. Ficar do lado de Israel é uma necessidade, pois significa legitimar a única verdade existente, quer você queira ou não. O antigo conflito entre árabes e israelenses não é, nem nunca foi por terra, meu filho. Coloque isso na sua cabeça.

Saiba você que caso Israel caia, o ocidente TODO cairá junto. Israel é o último bastião do planeta, que agora tem o apoio dos USA (em breve, do Brasil) e terá mais chances de vencer essa guerra. Aliar-se a Israel e apoiá-lo significa que estamos protegendo a nossa civilização e nossos valores, sobretudo, nossos valores concernentes à democracia e à liberdade. Se não defendermos nossos sustentáculos civilizatórios, ninguém o fará por nós.

Saiba você que a islamização está galopando na parte ocidental do mundo. Seus agentes propulsores, “os pobres coitados, oprimidos e discriminados”, têm a máquina mundial em seu favor: ONU, imprensa, toda a esquerda internacional e outros segmentos trabalham diuturnamente para que nossa liberdade e democracia sejam trocadas pelo que há de mais retrógrado e bizarro no universo; um novo modelo de civilização (que em nada coincide com o nosso).

Saiba que sem nos unirmos aos nossos irmãos mais velhos (os judeus), nós ficaremos perdidos nessa guerra de ataques unilaterais. A teocracia islâmica está avançando rapidamente, e o terrorismo é só a pontinha da tragédia. A lista é colossal! Saiba você que o judaísmo e o cristianismo podem andar de mãos dadas, são compatíveis em suas essências e mandamentos. Para tal, basta comprovar como vivem os cristãos em Israel e como vivem os judeus no ocidente – absolutamente de forma não problemática, pacífica.

Não arrume pelo em casca de ovo, meu filho! A questão é muito mais séria do que você imagina e entende com sua meia dúzia de neurônios. Você está servindo de papagaio para propagar o nefasto e o atraso. Você não me intimidará com suas acusações aleivosas e sua falta de conhecimento. Quem defende Israel defende a existência dos nossos pilares ocidentais. Hoje são eles, amanhã seremos nós, os cristãos, a bola da vez nas mãos do islã e seus conhecidos parceiros.

Não, meu filho, eu não precisaria responder às suas asneiras e imbecilidades, mas como a indagação é recorrente, resolvi me manifestar para que seja esclarecido de uma vez por todas: o que está em jogo não é apenas a defesa de um país, ou de seu povo, ou da verdade, mas de uma civilização inteira. É a jihad, seu estúpido!

Benjamin Netanyahu pretende vir a posse de Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro acerta em cheio ao anunciar seu desejo de aproximação/trabalho mútuo com Israel e reconhecimento de sua capital, Jerusalém

Anos de socialismo nos fizeram um anão diplomático e escolher parceiros orientados apenas por vieses ideológicos.

A união entre as duas nações será profícua para ambas. Israel tem também muito a nos oferecer: tem tecnologia de ponta, soluções baratas para o problema da água, tecnologias de localização, tecnologia e conhecimento médico de última geração, inteligência militar e muito mais.

Que o Brasil fortaleça ainda mais os seus laços com o Estado Judeu.

avatar

Claudia Wild

Advogada, Colunista do Jornal Hora Extra e a Reunião.Claudia Wild é nossa correspondente internacional na Alemanha.

Siga-nos

Curta nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.

Editor

avatar

Claudia Wild

Advogada, Colunista do Jornal Hora Extra e a Reunião.Claudia Wild é nossa correspondente internacional na Alemanha.