Timelinews

146 anos para que?

Uma análise sobre peculiaridades de Poços de Caldas na semana de comemoração dos 146 anos, e um convite à reflexão do atual cenário sócio/político

Poços de Caldas completou no último dia (6/11) 146 anos. A bela estância mineira com clima agradável andou sendo palco de situações inusitadas. Em alguns casos, estranha-se o comportamento de alguns cidadãos em função de opiniões em determinados acontecimentos. A ilustração de abertura desta matéria é muito apropriada para mostrar alguns aspectos que merecem destaque. Não, não é um post anti-Poços, mas principalmente, um destaque do que é peculiar no cotidiano do Poços-Caldense e principalmente um convite a uma reflexão ampla sobre o panorama atual.

Poços de Caldas, já entrou para a história como a cidade onde o estranho é real.Na primeira semana do mês de aniversário, o grande babado foi o dos ratos na praça Pedro Sanches, animais musculosos, bem criados passeando entre a jardinagem, assustaram cidadãos e turistas. O Clube do Mickey Mouse deu o que falar nas redes sociais, como sempre com a opinião hilária de muitos internautas. Há quem diga que as antas do ribeirão estavam em uma turnê pela cidade, enquanto outros batizaram o ocorrido como a inauguração da Disneylândia mineira.

Também nesta semana um fato curioso de um cachorro que resolveu “morar” no cemitério, ensandeceu os ânimos de alguns por causa da remoção do mesmo ao canil municipal. Houve quem questionasse a atitude do órgão, mas convenhamos, pela própria saúde do animal, um cemitério é um lugar impróprio. O perigo de picadas de escorpiões é eminente (todos sabem que esses aracnídeos adoram este ambiente). O mais interessante é que quando o órgão responsável age, reclamam, e se não toma providências, também reclamam.

 

Grandão foi protagonista de uma bela treta nas redes sociais

Outra polêmica enfrentada neste mês é com relação a possibilidade de fechamento da Guarda-Mirim, que realiza o ingresso de muitos jovens no primeiro emprego. Este impasse continua sendo debatido em reuniões da câmara municipal, mas é algo que preocupa a população.

Em Poços de Caldas, você encontra traffic-calming em semáforos (sim, é verdade). Por mais que se tente entender não há como não notar a discrepância, uma vez que na legislação de trânsito, existem as sinalizações verticais e horizontais. O que parecia a princípio uma solução, tornou-se uma dor de cabeça. Em somente um cruzamento no centro da cidade, existem( pasmem!) quatro dessas plataformas elevadas, fazendo com que trafegar em Poços seja um verdadeiro desafio de tobogam.

 

Já já haverá traffic-calming na represa Bortolan

Alie-se a isto, semáforos sem sincronismo, deixando a onda verde no vermelho. Como cidade turística, Poços deveria seguir o exemplo de Campos do Jordão, onde não existe semáforos, apenas as sinalizações já citadas, e que são respeitadas por todos, sejam cidadãos, sejam turistas. Incrivelmente é difícil ver registros de acidentes, realmente um exemplo para as demais cidades do país, motivo de orgulho “daquela cidade”.

Emissora oficial do município completou 43 anos no último dia (5)

A emissora oficial do município, a rádio Libertas, que opera na frequência de 99,5 mhz completou 43 anos de existência no dia (5), sequer foi lembrada. A emissora definitivamente vive no limbo, sendo apenas lembrada quando se precisa veicular algo cujo administração/câmara necessitem, e embora ela leve à toda região do Sul de Minas, Leste Paulista, um programação eclética, e seja a primeira em audiência, permanece ao limbo.

Para completar o leque de opções inusitadas, recentemente tem sido visto pessoas deitadas, tomando cerveja, e fumando, nos vãos dos pilares do monotrilho, especialmente, na ponte próxima ao terminal de ônibus central. Informações dão conta de que se tratam de pedintes, que curiosamente esbanjam muita saúde inclusive nestes momentos de confraternização ao ar livre, bem no centro da cidade. Uma das ocasiões foi flagrada neste início de feriado prolongado.

A divulgação do número de habitantes na cidade também causa uma certa dúvida, se comparado ao número de eleitores, divulgado pelo TSE. Click na imagem para ter acesso a mais dados sobre o município.

População de Poços no último censo

O que chama a atenção nestes índices apresentados pelo IBGE, é que curiosamente, o número de eleitores em Poços aumentou totalizando 118.425 eleitores. É ou não é para se pensar?

Falando em promoção social, outra grande treta que pairou sobre o município foi o aumento no valor das refeições no restaurante popular. Com o cancelamento do subsídio, muitos cidadãos rechearam os tópicos nas redes sociais, teve até gente dando banana para a administração. Mas o fato é que agora as vacas estão magras, a ponto do Prefeito decretar estado de emergência. O montante, segundo dados da Sedese, chega a r$ 76 milhões de reais devidos pelo estado. A boa notícia é a construção de uma creche na zona sul da cidade, com a verba do subsídio, prevista para ter início no primeiro semestre de 2019.

Os pontos turísticos ainda não engataram a marcha no tocante à políticas de participação público-privadas, e neste ritmo o trem nunca chegará no lugar. Como o trem, o município perdeu também a autonomia da Thermas Antonio Carlos, que há algum tempo está nas mãos da Codemig, que inclusive andou fazendo propaganda de uma concorrente das “Águas Minerais Poços de Caldas” aqui na cidade.

A pergunta que não quer calar: Nesta Maria ainda tem fumaça?

 

O apagão ocorrido no último sábado em pleno feriado, deixou ao menos quatro cidades da região sem energia elétrica durante um longo período, causando tremenda confusão, pois ninguém sabia onde houve a falha, se na Cemig, Furnas, ou DME e viva o sensacionalismo da desinformação.

 

Foto do apagão em Poços de Caldas

Mais hilária impossível, Poços protagonizou momentos incríveis durante o período eleitoral. Manifestações dos mais variados tipos “surgiram” do nada em telões. Passeatas e carreatas mudaram por completo o cotidiano da cidade, e Poços mostrou que quando toma “gosto pela coisa” cai de cabeça.

 

Manifestações movimentaram a cidade

Eventos da esquerda e direita intercalados, colocaram ânimo e fizeram um “arregaça as mangas” poucas vezes presenciada na cidade.Poços não elegeu nenhum deputado, embora um conterrâneo tenha sido eleito pelo estado, o que fica como prêmio de consolação. E neste cenário dá-se início a corrida eleitoral de 2020, com nomes saindo até da fresta do azulejo, para tentar concorrer aos cargos do pleito municipal vindouro. Mas nada disso pode ser pior, do que a treta mor do outono. Os guarda-toldos. Ninguém, mas absolutamente ninguém suporta andar nas ruas centrais da cidade em dias de chuva.

 

Andar com guarda-chuvas debaixo dos toldos das lojas, item obrigatório em dias de chuva.

Por incrível que pareça, existe uma força universal, que atrai para debaixo dos toldos, “toldas as pessoas” que portam guarda-chuvas, causando desconforto e até mesmo acidentes leves, com choques na maioria das vezes no rosto de alguém. É simplesmente inexplicável a atitude de andar sob guarda-chuvas, debaixo dos toldos das lojas das ruas centrais. Quem sabe, em 2019 o Ministro de Tecnologia, Marcos Pontes possa trazer uma equipe da Nasa, para estudar este fenômeno. Parabéns Poços de Caldas.

avatar

Walter Viana

Radialista DRT 2292 MG, Técnico em manutenção de emissoras de rádio e tv. Apaixonado por tecnologia e aficionado por comunicação, mídia e jornalismo

Siga-nos

Curta nossas redes sociais e compartilhe com seus amigos.

Editor

avatar

Walter Viana

Radialista DRT 2292 MG, Técnico em manutenção de emissoras de rádio e tv. Apaixonado por tecnologia e aficionado por comunicação, mídia e jornalismo